Notícias Areado

Homem é preso em Sertãozinho, SP suspeito de integrar quadrilha que roubava veículos em MG

Mandados de busca e apreensão e prisão foram cumpridos pela Polícia Civil de Alfenas (MG). Investigação teria começado após casa de juíza ser furtada em Paraguaçu, no Sul de Minas.

Publicado em 04/06/2019
Por G1 Sul de Minas.

Um homem foi preso pela Polícia Civil de Alfenas (MG) na manhã desta terça-feira (4) em uma loja de Sertãozinho (SP) durante a segunda fase de uma operação que busca os integrantes de uma quadrilha especializada no furto e roubos de veículos. Os criminosos atuavam no interior de Minas Gerais.

Outros dois homens foram detidos e encaminhados à Delegacia de Investigação Sobre Entorpecentes (Dise) de Ribeirão Preto (SP). Eles foram liberados após prestar depoimentos.

Ao todo, foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão e cinco de prisão pela polícia mineira com apoio de policiais de São Paulo e Ribeirão Preto, onde foram realizadas outras buscas. As equipes também estiveram em diligências nas cidades de Jardinópolis (SP), Rincão (SP) e Sertãozinho.

A investigação acontece há aproximadamente 90 dias, segundo a policia mineira. Outras duas pessoas foram presas anteriormente, uma na cidade de Elói Mendes (MG) e outra no bairro Jardim Botânico, em Ribeirão Preto.

De acordo com o delegado responsável pela ocorrência, Bruno Costa, outros quatro indivíduos ainda são procurados. A suspeita é que a quadrilha agia desde dezembro de 2018.

 

“Ela [a quadrilha] captava pessoas da localidade que tinham informações privilegiadas em relação a patrimônio e, através destas informações, montavam os indivíduos aqui e saiam em grupo para poder subtrair esse patrimônio”, explica.

A investigação apurou que, pelo menos, três pessoas foram vítimas das ações criminosas nas cidades de Alfenas, Varginha (MG) e Paraguaçu (MG), onde os ladrões furtaram um carro e um computador após invadir a casa de uma juíza. Duas motos aquáticas, avaliadas em R$ 165 mil, também foram furtadas de lojas do Sul de Minas.

Costa acredita que em torno de dez dias a apuração do inquérito policial seja concluída. “Eu penso que, a bem da verdade, a gente conseguiu apurar o inquérito policial, que é o principal, chegar à verdade dos fatos. Ainda tem alguns indivíduos foragidos. A gente vai empenhar nesse sentido e vamos contar com a polícia de Ribeirão Preto”, diz.

Para cumprir os 14 mandados, foram designados 21 policiais mineiros e outros 10 agentes de Ribeirão Preto.