Notícias Areado

Mortes violentas têm queda de 17,9% em um ano no Sul de MG, aponta levantamento do G1

Dados obtidos juntos aos órgãos de segurança mostram violência ao longo de 2019 na região.

Publicado em 09/01/2020
Por G1 Sul de Minas

Um levantamento do G1 Sul de Minas mostra que o número de mortes violentas na região teve redução de pelo menos 17,9% em 2019, no comparativo de janeiro a dezembro com 2018.

Os dados são obtidos pelo G1 junto aos órgãos de segurança, como Polícias Militar e Civil, em um acompanhamento diário, feito ao longo do ano. Os números podem ter variação na comparação com os apurados pelo setor de segurança estadual por diferença nos critérios de apuração.

Em 2019, foram pelo menos 137 mortes violentas, em crimes que incluem homicídio, feminicídio e latrocínio, roubo seguido de morte, em 54 cidades da área de cobertura da EPTV Sul de Minas. Em 2018, foram pelo menos 167.

Entre as cidades com mais registros no Sul de Minas estão Campo Belo, Varginha, Três Corações, Passos, Poços de Caldas, Pouso Alegre e Itajubá.

Março foi o mês de 2019 com mais mortes – foram 19. Por conta do número do mês, o primeiro trimestre do ano foi o mais violento, com 41 mortes. No segundo semestre foram 30; no terceiro, 31; no quarto, 35.

Feminicídio e faixa etária

 

Dos registros do G1 Sul de Minas, pelo menos 15 aparecem como feminicídio. No comparativo, 2018 teve dois crimes do tipo a menos, mas os casos de violência contra a mulher continuam a ter repercussão.

Um dos crimes que marcaram o ano foi em novembro. No dia 10, Adriana Aparecida Siqueira da Silva, de 38 anos, foi morta durante uma briga com o marido.

Ela entrou na casa de um vizinho para fugir das agressões do companheiro. No entanto, o homem invadiu o imóvel e matou a mulher a tiros.

Segundo a família, o casal enfrentava problemas e o homem já havia ameaçado a mulher de morte. No entanto, a vítima não havia registrado boletim de ocorrência contra o marido por medo de represálias contra os dois filhos do casal.

Em relação às idades das vítimas nos crimes analisados pelo G1, o maior número foi entre idades de 21 e 30 anos. Os dados consideram apenas as vítimas que foram devidamente identificadas pela polícia.

Relembre

 

Em março, um dos crimes mais marcantes foi a morte de um bebê de três meses em Andradas (MG). Na época, o pai da criança foi preso suspeito de agressões contra o filho.

Em agosto, outra morte chamou atenção em Poços de Caldas. Deisiele de Cássia Roque, de 33 anos, foi morta após criar um perfil falso na rede social para enganar uma das suspeitas do crime. O corpo dela foi encontrado em uma local de difícil acesso, um mês depois do desaparecimento.

No último dia do ano, um homem foi morto a tijoladas em Lambari. Câmeras flagraram a vítima pouco antes do crime acontecer. No entanto, não há câmeras no local do crime, considerado ermo. A polícia segue nas buscas pelos suspeitos.