Notícias Areado

Poço Fundo ‘fecha cidade’ por sete dias após número contaminações de Covid-19 dobrar

Celebrações religiosas, práticas esportivas e funcionamento de parte do comércio estão proibidos no município. Medita foi tomada pela prefeitura nesta segunda-feira (15).

Publicado em 15/06/2020
Por G1

Após o número de contaminações pelo novo coronavírus dobrar, de um dia para o outro, no final de semana, a Prefeitura de Poço Fundo (MG) decidiu fechar parte do comércio, vetar práticas esportivas e interromper a realização de celebrações religiosas na cidade a partir desta terça-feira (16). A decisão foi tomada nesta segunda-feira (15) e publicada nas redes sociais da administração municipal.

A determinação do Comitê Extraordinário Municipal de Covid-19 foi imposta depois de na sexta-feira (12) as infecções saltarem para 16, enquanto um dia antes a cidade possuía oito casos confirmados pelo novo coronavírus.

Com este aumento, a prefeitura decidiu por proibir diversas atividades por sete dias. De acordo com a administração municipal, a medida pode ser prorrogada pelo mesmo período e quantas vezes for necessário, enquanto durar a situação elevada de contaminação.

 

Atividades vetadas por sete dias

 

Confirme documento publicado das redes sociais da prefeitura, estão proibidas as seguintes atividades na cidade:

 

  • A realização de eventos religiosos como missas, cultos, visitas domiciliares, terços, e reuniões de qualquer natureza com acúmulo de pessoas de caráter público ou privado, incluindo festas e reuniões familiares;
  • A prática de futebol e qualquer outro esporte coletivo que tenha contato físico entre os participantes;
  • O funcionamento de bares, restaurantes e lanchonetes com circulação de pessoas, só permitida a realização de transações comerciais por meio de aplicativos, internet, telefone ou outros instrumentos similares, e também os serviços de entrega de mercadorias em domicílio ou também para retirada de refeições no estabelecimento, vedado o fornecimento para consumo no próprio local;
  • O funcionamento de clubes, academias de ginástica, estúdios de pilates, salões de festas, salões de beleza e cabeleireiros;
  • As visitas a centros de convivência de idosos;
  • O funcionamento de estabelecimentos comerciais com exceção de: farmácias, laboratórios, supermercados, mercearias ou outros estabelecimentos que comercializam gêneros alimentícios, construção civil, agropecuários e oficinas mecânicas.