Notícias Areado

POLÍCIA MILITAR PRENDEU SUSPEITO DE ESTELIONATO EM ALTEROSA

O suposto advogado prometia vantagens contidas no golpe popularmente conhecido como “revisão da aposentadoria”, sendo que os principais alvos eram os benefícios de trabalhadores rurais.

Publicado em 18/06/2020
Por PMMG

Na última terça-feira (16), a Polícia Militar de Alterosa tomou conhecimento da ação de um possível estelionatário no município, o qual se apresentava às pessoas como sendo advogado, solicitava e recebia valores, alegando que seria para quitar débitos supostamente não pagos ao INSS, sendo que com isso aumentaria significativamente o benefício atualmente recebido por elas.

O suposto advogado prometia vantagens contidas no golpe popularmente conhecido como “revisão da aposentadoria”, sendo que os principais alvos eram os benefícios de trabalhadores rurais.

Após identificar e ouvir uma das vítimas teve início uma operação policial, logrando êxito na abordagem, identificação e prisão em flagrante do suspeito, ficando constatado que ele possui diversas passagens pela justiça, pelos crimes de estelionato e apropriação indébita.

Em virtude da notícia da prisão ter se espalhado, em um curto período de tempo, dezenas de vítimas, dentre as quais políticos, comerciantes, empresários e lavradores, entraram em contato com a PM, sendo que sete delas se apresentaram e foram qualificadas no boletim de ocorrência. Tais vítimas repassaram ao autor um total aproximado R$ 32.000,00 (trinta e dois mil) reais, sendo relatado por elas que há inúmeras outras vítimas no município e região.

Foram apreendidas com o autor cento e vinte sete pastas de procedimentos supostamente relacionados ao INSS, de diversas localidades e inclusive do estado de São Paulo. Além disso, foi apreendido também o veículo em que ele se encontrava; seu aparelho de telefone celular; um notebook; um ipad e cerca de R$ 300,00 (trezentos reais) em dinheiro.

Apesar de se apresentar como advogado, foi observado que o suspeito não possui registro na OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), bem como não iniciou nenhum dos processos de revisão junto ao INSS, apesar de ter declarado às vítimas que os valores por ela adiantados seriam repassados ao referido órgão.

A Polícia Civil dará prosseguimento às investigações, a fim de descobrir mais vítimas do suspeito de estelionato.