Notícias Areado

Projeto aposta no talento de mulheres para superar estado de vulnerabilidade em MG

Juntas, as participantes do projeto Conexões Musas vão desenvolver um produto e conquistar independência financeira em Poços de Caldas.

Publicado em 12/09/2019
Por G1 Sul de Minas.

Dezenas de mulheres que enfrentam as mais variadas formas de vulnerabilidade social se reúnem no projeto Conexões Musas e associam talentos para superar as dificuldades e conquistar autonomia financeira. Em Poços de Caldas (MG), o projeto acontece há cerca de um ano e, neste mês de setembro, as participantes ingressam em uma fase de imersão criativa para que consigam, até o final do ano, escolher o produto que passarão a confeccionar juntas.

Mesmo com tantos problemas em comum, quando se unem, estas mulheres falam é de soluções. O projeto Conexões Musas é uma iniciativa do Instituto Empodera e já acontece em cidades como São Paulo (SP), Campinas (SP) e São José dos Campos (SP), onde tem diversas vertentes. Os grupos desenvolvem trabalhos como crochê, culinária e até bolsas artesanais. Em Poços de Caldas, as participantes vão se dedicar à costura e já fazem, inclusive, um curso sobre as técnicas oferecido pela Secretaria de Promoção Social da cidade.

Para funcionar em Poços, o projeto conta com a parceria do Instituto Arvorcer, cuja sede contará com máquinas de costura disponíveis para que as participantes do projeto trabalhem e da Jamer, uma confecção de jeans apoiadora do projeto. No último final de semana, as participantes fizeram parte de um processo de imersão criativa. A primeira etapa foi uma visita às instalações da fábrica.

Depois da imersão, as participantes devem entrar em um acordo sobre o que vão produzir, e então, se preparar para colocar em prática o que vêm aprendendo. Para que tenham uma rotina, os encontros nas máquinas de costura do Instituto Arvorecer devem seguir uma frequência que atenda a demanda de produtos.

Autonomia econômica

 

Superar o estado de vulnerabilidade não é simples, mas a autonomia econômica pode ser uma grande aliada no processo. É no que acredita Raquel Barros, psicóloga e coordenadora do projeto.

 

“A autonomia econômica transforma porque a mulher passa a poder escolher o que ela vai comprar, não precisa ser doação. Ela pode abandonar o marido no caso de violência doméstica. Um dos principais processos de transformação é a autonomia econômica, porque gera escolha”, destaca Raquel.

O trabalho em grupo é uma ferramenta importante para que a autonomia seja alcançada. Juntas, as mulheres compartilham saberes e estabelecem relações de respeito e admiração, que as impulsionam rumo ao objetivo de produção.

“A ideia é reconhecer o potencial nestes grupos de mulheres e, a partir daí, articular as atividades. A gente tem que fazer desta conexão um processo produtivo de maior escala, para que elas gerem mais renda”, explica a psicóloga.

 

Moda e autoestima

 

Com o projeto, além da autonomia econômica, as mulheres têm a oportunidade de conviver em um grupo onde o talento individual é valorizado e a autoestima se ergue. Mas, a longo prazo, os benefícios vão além disso. Perto das agulhas, as mulheres fazem mais do que unir tecidos e formar peças de roupas.

Trabalhando com moda, elas podem influenciar na autoestima também de quem vai comprar o que produzirem, e costurar também estes dois pontos. Esta é a aposta de Juliana Medina, coordenadora de produto da fábrica de jeans que recebeu as participantes do projeto com um café, bolinho de chuva e um discurso para inspirá-las.

“Se alguém perguntar, vocês não são simples costureiras. Vocês trabalham com moda, se orgulhem disso. Vocês conseguem transformar um pedaço de pano em uma roupa que uma pessoa vai usar, vai ficar bonita, vai receber elogios, e ainda vão receber por isso", destaca a coordenadora.

"Se vocês conseguem transformar o tecido em roupa, vocês consegue também fazer mudanças nas próprias vidas”, pontua Juliana.

 

Atentas e com os cadernos em mãos, as participantes anotaram, inclusive, falas como esta e se preparam para seguir nas etapas do projeto munidas e conhecimento técnico, mas também de muita inspiração.