Notícias Areado

Vamos falar um pouco sobre potencial turístico, com Hugo Mião


Endereço: https://www.facebook.com/hugo.miao

Telefone: (82) 9 8882-9995

Descrição: A região do sul de Minas Gerais (principalmente o LAGO DE FURNAS) apresenta grandes potencialidades turísticas.

Caros leitores e leitoras, para darmos continuidade ao que falávamos na semana passada, após o entendimento sobre o que é definido por turismo, passamos ao próximo estágio para entendermos o que, de fato, pode ser visto como potencial turístico.

Potencial turístico é tudo aquilo que pode vir a fornecer subsídios a um local para que este desenvolva certo tipo de visitação com o objetivo de ser apreciado, utilizado e aproveitado turisticamente.

Em outras palavras Lemos (2005) diz que o valor (potencial) turístico é o conjunto dos elementos envolvidos na questão turística, fruto de relações sociais historicamente estabelecidas por uma comunidade em sua localidade, as quais são capazes de gerar um sistema organizado que agregue um composto de bens e serviços - como informação, transporte, hospedagem, alimentação, entretenimento, eventos-, fatores climáticos e geográficos (in natura), e os elementos das infra-estruturas geral e específica. Esse conjunto tem por unidade a força de atração que mobiliza o deslocamento e a permanência nessa localidade de pessoas residentes em espaços sociais distintos, chancelando seu valor e estabelecendo uma nova relação social: a hospitalidade. Por ser essa a dinâmica, requer que sua sustentabilidade seja investigada no processo de valorização.

Em relação às atividades turísticas, a região do sul de Minas Gerais (principalmente o LAGO DE FURNAS) apresenta grandes potencialidades, notadamente para aquelas ligadas diretamente ao aproveitamento inteligente da água que é sem dúvida o maior atrativo turístico do mundo, haja vista as suas características ambientais. Assim, essas regiões são privilegiadas para o desenvolvimento de uma gama de atividades turísticas, que vão desde as mais radicais (mergulho, canoagem, stand up paddle, vôo livre, montanhismo, rapel, mountain bike e outras), até aquelas que compreendem uma situação  mais de sossego, tranquilidade, repouso, meditação e observação da natureza em seu estado mais primitivo.

Uma visão errada do potencial turístico local pode provocar um sobre-dimensionamento dos projetos, com efeitos negativos para o ambiente (poluição, degradação dos sítios naturais, etc.), a cultura (perda ou “folclorização” da identidade local, etc.) e a atividade econômica do território (dependência, aumento do custo de vida, endividamento das autarquias, etc.);

A má percepção das características e das especificidades do território dificulta a elaboração de uma oferta turística local original que permita diferenciar-se de regiões comparáveis concorrentes;

O desconhecimento das características locais prejudica a elaboração de produtos turísticos, a avaliação precisa do potencial turístico do território constitui uma excelente base de decisão para os governos e organismos de desenvolvimento, permitindo-lhes minimizar os riscos de fazer maus investimentos.

Por fim, é claro, o potencial turístico que a região do Lago de Furnas e o município de Areado, apresentam aos apreciadores, investidores e comunidade autóctone, entretanto, é necessário que sempre, antes de cada tentativa de investimento na atividade turística, se faça um estudo de viabilidade do negócio para municiar o empreendedor ou investidor do maior número de informações possíveis, possibilitando uma maior probabilidade de sucesso.

Na próxima, semana falaremos sobre o turismo, como fator de desenvolvimento municipal. Até lá...

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

LEMOS, Leandro de. O Valor Turístico na Economia da Sustentabilidade. São Paulo, Aleph, 2005.

LUCHIARI, M.T.D.P. A (re) significação da paisagem no período contemporâneo. In: CORRÊA, L. R. e ROSENDAHL, Z. orgs. Paisagem, imaginário e espaço. Rio de janeiro: Ed. UERJ, 2001.

PEREIRA, Rudiney Soares, MADRUGA, Pedro Roberto de Azambuja, HASENACK, Heinrich. Geoprocessamento aplicado ao planejamento de uso de recursos naturais - Curso. Santa Maria: UFSM-CCR-FATEC. 1995.

SARTOR, l. F. Introdução ao turismo. Caxias do Sul/ Porto Alegre, Universidade de Caxias do Sul/ Escola Superior de Teologia São Lourenço de Brindes, 1997.